Home > Centro de Conhecimento > A IMPORTÂNCIA DE UMA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA EFICAZ

26-06-2017

A IMPORTÂNCIA DE UMA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA EFICAZ

 COMUNICAÇÃO CORPORATIVA


A liderança num município exige que os responsáveis políticos estejam sempre atentos ao pulsar da sociedade. A circulação de informação é decisiva e o envolvimento das populações crucial. Conheça alguns exemplos de sucesso.


A comunicação corporativa é um dos pontos-chave da atividade interna de qualquer entidade que procure altos níveis de eficiência do trabalho corporativo. A circulação interna da informação é fundamental para estabelecer e manter boas relações laborais, discutir oportunidades e desafios profissionais, perceber quais as tendências tecnológicas inovadoras que tragam mais-valias à organização. Numa empresa, a organização interna pode ser facilmente convertida consoante as necessidades do momento. Já, por exemplo, num município, a hierarquização dos vários departamentos poderá ser um fator de impedimento à boa circulação de informação. Assim, num município, é tão importante saber o que fazer, como o modo como se faz. As lideranças municipais dependem daquilo que os munícipes saibam do que foi bem feito para serem reeleitas.

Por isso, importa começar por saber distinguir a comunicação corporativa interna da externa. No primeiro caso, falamos de ferramentas como reuniões, conferências, entrevistas, apresentações ou suportes físicos de informação (brochuras, newsletters, cartas, etc.), com a finalidade de fazer um anúncio, tomar decisões, partilhar visões e opiniões - além de gerar um bom ambiente de trabalho, a comunicação interna aumenta a produtividade. Ainda neste capítulo, é necessário referir técnicas como o "gamification", enquanto instrumento digital que liga os colaboradores à empresa de forma divertida. Importa, portanto, ler com atenção o artigo "Gamification: a brincar se aprendem coisas sérias".

No segundo caso, da comunicação externa, trata-se de um processo envolvendo atuais e possíveis investidores, clientes e demais entidades, utilizando para tal meios de propaganda comercial, marketing e relações públicas - é a forma certeira de criar uma imagem e uma identidade corporativas. Para tal, é imprescindível o uso de ferramentas tecnológicas de suporte à disseminação da informação.

A PARADIGMSHIFT acaba de lançar no mercado a solução inovadora "Employees Interaction Management" by PARADIGMSHIFT, ferramenta facilitadora de um ambiente de colaboração no seio das organizações e capaz de gerar resultados amplificados.

O exemplo da comunidade canadiana de Edmonton é elucidativo de como a aplicação de tecnologias beneficia as organizações na sua relação com a comunidade. A criação do serviço municipal "311" exemplifica como os cidadãos podem utilizar aquelas ferramentas para interagir com o governo local. Inicialmente testado na cidade norte-americana de Baltimore, em 1996, o serviço "311" foi criado para responder ao congestionamento das centrais telefónicas da polícia.

A comunicação interna aumenta a produtividade, enquanto a comunicação externa tem como principal finalidade a criação de uma boa perceção acerca da imagem e da identidade corporativa. O uso de ferramentas tecnológicas é, pois, fundamental.

Em causa, estavam os muitos telefonemas que eram feitos com relatos de casos de importância menor, mas que ainda assim incomodavam os munícipes: depósito ilegal de lixo, estacionamento em segunda fila, ruído excessivo, entre outros. O advento da Internet e dos smartphones fez com que o telefone deixasse de ser o único meio para apresentação de reclamações - emails, formulários web e aplicações mobile foram desenvolvidas para criar plataformas adicionais destinadas ao contato direto dos cidadãos com os governantes locais.

Comunicação na União EuropeiaNa União Europeia, os tempos ainda são de alguma indefinição no que diz respeito à comunicação. Numa entrevista concedida ao "Communication Director", publicação oficial da comunicação corporativa e relações públicas da União Europeia, Béla Dajka, diretor-geral de Comunicação da Comissão Europeia, revela que o grande desafio das organizações sob a tutela do Estado, como os municípios, passa por demonstrar uma atitude diferenciadora face aos demais. "As instituições percebem que, a menos que expliquem claramente a sua missão (e diferenças) individuais no sistema da UE, a compreensão dos cidadãos da UE não melhorará significativamente".

A comunicação corporativa pode ter, de fato, muito poder. E os métodos aplicados a uma empresa podem perfeitamente ser aplicáveis a um município. Como é o exemplo do sucedido com a cadeia de televisão britânica ITV, que em 2014 lançou um novo canal, o ITVBe . Os funcionários foram chamados a contribuir para a campanha de lançamento, através de um vídeo promocional - os melhores seriam colocados no ar. Através do humor e de uma grande dose de criatividade, a ITV conseguiu abranger todos os colaboradores da empresa nesta missão e, no final, 93 por cento (!) dos envolvidos disseram que esta ação não só trouxe uma nova vida ao interior da organização, como também resultou numa campanha promocional da ITVBe de grande sucesso.

A cadeia de televisão ITV decidiu chamar os seus funcionários a participar no processo de lançamento de um novo canal. O resultado foi um grau de satisfação dos colaboradores na casa dos 93 por cento...

Isto é, tratou-se de saber aproveitar o conhecimento já existente no seio da organização, ao mesmo tempo que todos os colaboradores foram chamados a participar no processo, dando-lhes um sentimento de pertença ao grupo. No caso dos municípios, além de os processos de comunicação interna e externa serem aplicáveis aos colaboradores, também devem envolver os cidadãos. Como já aqui foi referido, estes podem ser chamados a dar o seu contributo em processos de governação integrada, bem como através do uso de ferramentas tecnológicas de auxílio, como a Knowit - Quick Answer Intelligent Platform, que permite, através de telemóveis, criar grupos de discussão online e em tempo real. Esta tecnologia concorre diretamente com as tecnologias mais estruturadas e mais divulgadas internacionalmente, os chamados GDSS .

As boas relações no ambiente de trabalho constituem um tónico suplementar para as organizações (empresas, municípios), já que criam espírito de equipa e compromisso de missão. É esta a chave do sucesso.

Estabelecer e manter boas relações de trabalho é a chave para um local de trabalho positivo. As organizações que incentivem o desenvolvimento de relações positivas entre gerentes e funcionários, bem como entre colegas de trabalho, têm muito mais possibilidade de terem sucesso. Todas podem promover relações positivas no local de trabalho, criando um forte compromisso de missão e um ambiente de equipa bem sucedido, ao fortalecer os relacionamentos no local de trabalho e estabelecendo expectativas claras, praticando uma comunicação constante e oferecendo respostas oportunas ao comportamento positivo no local de trabalho e às questões ou preocupações dos funcionários.

+ Info
Partilha

Contacte-nos 218 214 932

Envie-nos uma mensagem