Home > Centro de Conhecimento > LOJAS COM HISTÓRIA PARA CONTAR

24-02-2017

LOJAS COM HISTÓRIA PARA CONTAR

Lojas Antigas - Fonte avidaportuguesa (Intendente)


Os municípios são os grandes impulsionadores do comércio local e compete-lhes preservar e divulgar as lojas com história. Com as ferramentas tecnológicas certas, é possível dar-lhes nova vida e fazer destes espaços uma referência em termos comerciais e turísticos...


Imagine que, de repente, pode estar a entrar numa loja construída no tempo do Marquês de Pombal, em Lisboa, ou uma farmácia do início do século XIX, no Porto, e que tomou conhecimento delas através da mais moderna aplicação tecnológica para dispositivos móveis. É uma viagem no tempo com todo o conforto dos tempos modernos. Espaços que outrora foram de glória e que, com o passar dos tempos, foram perdendo fulgor, ruas que eram autênticos "clusters" de espaços como livrarias, chapelarias, alfaiates, sapateiros, etc., ganham nova vida mostrando-se à comunidade a partir de uma base de dados inserida em roteiros locais e regionais destinados a turistas.

Os municípios são, por princípio, os primeiros e grandes impulsionadores destes negócios, já que constituem o mais direto elo de ligação entre os cidadãos e o tecido económico local e têm por "obrigação" exibir a originalidade e as qualidades do comércio local, enquanto elemento diferenciador face aos grandes espaços comerciais. Com esse intuito, a Assembleia da República publicou a Resolução n.º 100/2016, com a designação "Classificação e valorização das zonas históricas", em Junho de 2016, no sentido de viabilizar o funcionamento das lojas históricas e recomendou ao Governo que: "mediante a definição de critérios de classificação de 'loja histórica', crie uma identificação distintiva a atribuir a esses estabelecimentos de comércio e serviços, em articulação com as autarquias locais, de modo a contribuir para o seu reconhecimento e valorização; crie um programa de apoio às lojas históricas, em articulação com as autarquias locais; incentive a divulgação e a promoção das lojas históricas em programas e roteiros turísticos".

Por outras palavras, o objetivo é que os municípios possam dispor das "armas" tecnológicas que lhes permitam colocar as lojas do chamado comércio tradicional numa montra virada para o mundo. Em Lisboa, isso é possível no espaço virtual das "Lojas com História". O projeto, nascido em Fevereiro de 2015, visou criar uma nova marca que identificasse e promovesse os estabelecimentos tradicionais da capital. As lojas aderentes ao projeto estão instaladas numa base de dados comum que, para os visitantes (turistas), fica apenas à distância de um clique.

Em Lisboa, o projeto "Lojas com História" reúne alguns dos espaços mais emblemáticos do comércio da capital numa plataforma promocional inserida numa base de dados virada para o turismo.

Os promotores desta iniciativa, no caso, a Câmara Municipal de Lisboa, acreditam que o projeto "Lojas com História" permitirá criar "novos modelos de negócio e mais emprego, garantindo a continuação renovada de um sector com enorme valor patrimonial, cultural e económico, sob o mote 'Preservar inovando'".

A enorme competitividade que o comércio tradicional tem de enfrentar face ao comércio eletrónico apresenta enormes desafios. Por isso, é necessário encarar de frente as soluções oferecidas pelas novas tecnologias e aproveitar ao máximo as suas potencialidades. Em Braga, a Câmara Municipal decidiu trazer à luz do dia uma plataforma agregadora de alguns dos mais emblemáticos espaços de comércio tradicional da cidade, no microsite "Espaços com Alma". Aqui, "todos os bracarenses (e não só!)" são convidados "a contribuir com sugestões dos seus 'Espaços com Alma' no Concelho de Braga".

Uma app bilingue foi a forma escolhida pelos responsáveis autárquicos no Porto para promover o comércio local. Além de anunciarem os serviços disponíveis, oferecem como ?bónus? aos utilizadores entradas grátis para eventos culturais.

Em fase de desenvolvimento rumo a uma base de dados mais abrangente está a cidade do Porto, onde a "APP do Portal de Notícias do Porto" permite, a partir de dispositivos móveis, acompanhar todas as mais recentes novidades da cidade em matérias como a cultura ou a inovação. Nesta primeira fase, todos os potenciais interessados em divulgar as suas atividades são convidados a participar, bastando preencher um formulário simples, passando então a informação a ficar disponibilizada nesta aplicação bilingue (português e inglês). Como forma de sedução de mais e mais adeptos para esta "causa" a favor da economia local, a autarquia decidiu passar a convidar, através do sistema de alertas desta app, os utilizadores para espetáculos e eventos do Teatro Municipal do Porto, entre outros. O download e instalação da aplicação em smartphones é gratuita.

Lojas Antigas - Fonte avidaportuguesa (Chiado)Do outro lado do mundo, na Austrália, a Mackay Region Chamber of Commerce propõe-se contribuir "significativamente" para a saúde económica e a prosperidade da região, oferecendo para tal um "ótimo ambiente para o crescimento e a prosperidade" dos negócios locais. Este organismo agregador de vários negócios locais assume-se, assim, como o elemento de alavancagem das potencialidades da região, oferecendo programas de trabalho conjunto (networking) para a comunidade empresarial de Mackay. É de salientar que os mecanismos que projetam a oferta comercial junto da comunidade envolvente estão enquadrados numa estratégia de marketing digital da entidade (empresa, associação, município), o que desde logo facilita a exposição virtual das empresas envolvidas.

Uma estratégia de marketing digital bem pensada resultou num aumento significativo da saúde económica da região de Mackay, na Austrália, onde a câmara de comércio assumiu a responsabilidade de promover os negócios locais.

Se as empresas têm tudo a ganhar quando inseridas numa plataforma conjunta "virada para o mundo", mais potencialidades adquirem se essa exposição for acompanhada por uma melhoria da forma como apresentam publicamente a sua imagem. Isto é, se souberem aproveitar todas as armas ao seu dispor, como é o caso do design. E que melhor exemplo de casos de sucesso do que as empresas nascidas (ou pelo menos inspiradas) em Silicon Valley? É o caso da Two Leaves, cujo website estava desatualizado em termos de design e que, com um pequeno investimento na melhoria do seu "look" externo e uma aposta no "rebranding", conseguiu aumentar as vendas em cerca de 34 por cento. Ou seja, nem sempre é necessário fazer investimentos de elevados montantes para atingir os objetivos. Com a estratégia acertada e as ferramentas tecnológicas certas ao dispor, os pequenos negócios podem reinventar-se e atingir o patamar de sucesso desejado.

+ Info
Partilha

Contacte-nos 218 214 932

Envie-nos uma mensagem